terça-feira, 22 de julho de 2008

Night e Copos - I

Olá meus amoreeeees. (:
depois de uma constipação horrivel, de uma semanas ainda piores, estou de volta.
agradeço do fundo do corazón, a todos os que deixaram aqui votos de melhoras, e força para os exames.
Depois de neuras sem fim, e apontamentos que pareciam crescer sozinhos, voltei, já com alguma força, e ideias para posts.

Night e Copos.

O grupo já é grande, e já merecemos uma noite como dantes.
Fomos pa farra, a noite foi longa e bem regada. A bebedeira é das que dá direito a dormir durante a totalidade do dia seguinte, acordando já de noite para reuinir o pessoal no cafe mais simpatico perto de todos. Cheia de cenas caricatas, que apenas se revelam por pequenos flashes, sendo que todos juntos aabara-mos por completar a memoria do que se tinha passado de noite.
Pois bem! Tendo um jantar animado como introdução, com a lasanha a acompanhar algo que não me lembro bem o que era, mas seria certamente sangria feita pelo menino Tomás, ou então, não. Não me lembro bem, mas hei-de perguntar.

Chegados às Docas de Lisboa, a abarrotar de bifes e bifas a passear, o cenário é dos melhores. A malta estava animada, e as casinha prometiam boa musica. Boa boa não seria com certeza, mas ainda dava para animar.

-'Qué frô?!
-'Não, sou alérgico.'
-'Não, fazem-me rir.'

Fomos dançar, aquilo prometia, sendo ainda que as bebidas eram fornecidas pela canalha que nos acompanhava, as meninas andavam bem mais que felizes.
Sei que, e dessa parte não me esquecerei nunca na vida, pois ficou marcada, o telemovel começa a tocar no bolso, onde na casa de banho, junto a uma rapariga que quase deitava as tripas fora, depois de grande dose de uma qualquer droga e uma grande sessão de quase violação oiço:
-'MARIAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA! TOU A CURTIR A GRANDEEEEEEEEE!'
Antes de puder dizer qualquer coisa, pois para alem de fora do meu estado normal, já sou um pouquinho para o compreenção lenta.
Assim que desligo o telefone eu e o pessoal resolvemos pegar na pobre rapariga que sem saber como estava naquele estado, chamar o segurança e ir embora. Deixando-a com os amigos, espero eu que um pouco mais responsaveis que ela.
3 dos muitos que eramos mantinham-se sóbrios, levando-nos a dar uma voltinha pelo Bairro que estava animadote.



beijos sem stress,

Mariaaaa.


P.S.- Ainda hoje nao sei quem me telefonou a tais horas, e ainda ninguem se acusou...

6 comentários:

Miguel disse...

essa do qué fro partiu-me todo lololol

Maria, disse...

Miguel,

é não é?!
O 'Qué frô é sem duvida das partes mais divertidas da noite, e essas duas respostas foram só uma pequena parte.

beijinhos

Charmoso disse...

Ensina-me aí a dar beijos sem stress (cof cof)

Maria, disse...

Charmoso,

Ensino? Pensava que sabias fazer tudo... (:

charmoso charmoso...

Maria Manuela disse...

Ora não há como uns copos para curar uma gripe...

bj

Maria, disse...

Maria Manuela,

Ora, concordo plenamente!

beijinhos